sobre livros e a vida

21/01/2020

Tá Na Estante :: ‘O Conto da Aia – Graphic Novel’

O Conto da Aia é uma distopia que narra como os EUA se tornaram a província de Gilead, um lugar onde as mulheres perderam todos os seus direitos e vivem como submissas aos homens. Ter filhos se tornou uma bênção, já que muitas mulheres perderam o dom de engravidar e como a nação precisa ser povoada constantemente, é necessário que alguém engravide. Por conta disso, as mulheres ainda férteis foram transformadas em Aias e designadas a casas de militares, com o único intuito de procriarem.

Offred é uma Aia. Ela vivenciou diretamente todas as mudanças e neste processo perdeu sua filha e o marido, dos quais não sabe mais o paradeiro. Ela está chegando a sua segunda residência e sabe que seu tempo está se esgotando. Logo ela precisa produzir um herdeiro, ou será levada embora para morrer com as outras não mulheres.

A nova patroa de Offred é Serena Joy, uma mulher que sempre pregou o quanto os homens são superiores e devem ser servidos por suas esposas. Não demora muito para a Aia perceber que a mulher odeia tudo que tem a ver com ela, mas realmente precisa de sua presença em casa, para servir ao Comandante e gerar-lhe um herdeiro. Mas mal sabe Offred que tudo aquilo em que ela passou a acreditar está prestes a ser revolucionado – e ela pode ser uma peça chave desta mudança.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

O Conto da Aia foi publicado originalmente em 1985 e já foi adaptado diversas vezes, sendo a série de TV do canal Hulu, estrelada por Elizabeth Moss, a de mais sucesso. Eu li o livro há alguns anos (resenha aqui), mas não tive estômago para ver a série, já que muitas das coisas retratadas nessa obra são bárbaras e cruéis. Então, quando a Rocco anunciou o lançamento da Graphic Novel, imediatamente fiquei empolgado, já que teria a chance de ver – de forma mais leve – um retrato dessa história que imaginei.

A edição está sensacional. A capa é de um material mais firme e resistente, mas não chega a ser dura. O papel imita a folha de revista, com uma gramatura mais alta. Todos os desenhos são coloridos, mas os tons de preto, branco e vermelho sempre se sobressaem. Além disso, o exemplar também conta com uma fita mimosa, fazendo o papel de marcador de páginas. Garanto a vocês que vale muito o preço.

O que mais gostei nessa experiência foi poder revisitar essa história e verificar detalhes que deixei passar quando li o livro original. Como assisti alguns episódios da série, alguns fatos em minha cabeça já tinham se embolado e eu não sabia o que era o que. A graphic novel está bastante fiel ao livro, retratando todos as cenas da trama e inserindo os diálogos mais importantes, que caracterizam a história de Offred.

Quando li o livro, não simpatizei muito com Offred. Sempre senti que ela era submissa demais ao que lhe foi imposto, mesmo que tenha vivenciado toda a mudança. Claro que ela tentou lutar e fugir no começo, mas eu achava que ela tinha aceitado fácil demais sua nova condição. Com essa releitura, percebi que meu julgamento foi precipitado e errôneo. Offred tem todos os motivos para agir como age e assim que tem a chance de participar da revolução, ela não hesita.

Em suma, O Conto da Aia configura no hall dos meus livros favoritos e essa graphic novel não fica por menos. Recomendo a leitura a todos, principalmente para os fãs dessa história, mas também para aqueles que querem se aventurar por suas páginas e ainda não tiveram coragem por quaisquer fatores. Vale muito a pena!

 

 

Ei, eu sou a Barb, tenho 27 anos, sou baiana, estudei Letras e compartilho conteúdo desde 2010 na internet. Por aqui, escrevo sobre tudo que faz meu coração bater mais forte.

Se inscreva no meu canal do youtube

Além do meu amor pela leitura e pelas histórias de romance, eu compartilho vlogs sobre a minha rotina e trabalho, mostrando como é a vida de uma baiana morando em Madrid, na Espanha.

Ei, inscritos no Telegram

Faça parte do nosso grupo aberto e gratuito no Telegram. Lá os inscritos recebem novidades, conteúdos exclusivos, além de um podcast semanal (em áudio) sobre o que se passa na mente da criadora de conteúdo.

Telegram

Quer receber minha newsletter?

Vamos conversar mais de pertinho? Enviamos conteúdos semanais sobre assuntos mais intimistas: reflexões sobre a vida e situações cotidianas.