sobre livros e a vida

05/11/2016

Tá Na Estante :: ‘Guerra do Velho’ #595

Oi, gente. Tudo bem?

Setembro foi um mês em que saí de minha zona de conforto para a leitura do Vórtice Fantástico aqui de Porto Alegre e hoje vim contar o que achei da obra em questão. Vamos conferir?!

Livro: Guerra do Velho
Série: Old Man’s War (#01)
Autor: John Scalzi
Editora: Aleph
Páginas: 368
Sinopse: A humanidade finalmente chegou à era das viagens interestelares. A má notícia é que há poucos planetas habitáveis disponíveis – e muitos alienígenas lutando por eles. Para proteger a Terra e também conquistar novos territórios, a raça humana conta com tecnologias inovadoras e com a habilidade e a disposição das FCD – Forças Coloniais de Defesa. Mas, para se alistar, é necessário ter mais de 75 anos. John Perry vai aceitar esse desafio, e ele tem apenas uma vaga ideia do que pode esperar.

Guerra do Velho apresenta um futuro não tão distante, onde o ser humano descobriu outros mundos e as viagens entre planetas e galáxias já são possíveis. Só que, obviamente, também descobriu que não estamos sozinhos. Existem seres alienígenas de diversas espécies que querem disputar o controle das novas colônias humanas.

Para ajudar, foi criada a Força Colonial de Defesa, ou simplesmente a FCD, uma espécie de exército interplanetário. Todos conhecem a fama da FCD e muitos sonham em entrar para ela, mas a principal regra para se alistar é ser maior de 75 anos. Sim, aqui são os velhos que vão para a guerra, não os jovens.
E é aí que conhecemos nosso protagonista, John Perry. Ele e a esposa combinaram que se alistariam quando completassem 75 anos e já tinham iniciados os preparativos quando ela faleceu. Anos depois, John resolve seguir adiante com o plano. Viúvo e sem mais pelo que lutar na Terra, ele parte rumo ao espaço para encontrar seu destino.

O que John não sabe é como a FCD usa os idosos em suas guerras. Quer dizer, imaginem seus avós empunhando armas e correndo pra matar alienígenas. Não parece muito simples, não é? John acredita que de alguma forma será rejuvenescido, mas nem imagina que essa sua nova vida irá desafiar os limites de tudo aquilo em que acredita e colocará em prova sua lealdade.
Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!
Quando Guerra do Velho foi escolhido como leitura do mês do Vórtice Fantástico, confesso que não fiquei muito animado. Ficção científica é um gênero que sai bastante da minha zona de conforto e eu não sabia muito bem o que esperar dessa obra. Tinha ouvido alguns comentários positivos blogosfera afora, mas me joguei na leitura sem buscar mais informações sobre o enredo.
A escrita de John Scalzi é completamente viciante. Como sempre, deixei para ler o livro do Vórtice um dia antes do encontro e quando comecei tive medo de que não conseguiria terminar. Contudo, Scalzi me prendeu de tal forma que não só terminei a obra em uma sentada, como também queria mais.
O autor criou uma trama original, ao menos para mim, e abusou do teor cômico, dando um lado irreverente ao enredo, fazendo com que este se tornasse mais divertido enquanto explicava as questões mais científicas das viagens. Temos muitas lições de física que eu não entendi bulhufas, mas Scalzi explicou bem com seu jeito brincalhão.
O livro é narrado em primeira pessoa, sob a perspectiva de John. Ele é um personagem extremamente cativante e interessante. Em alguns momentos foi difícil imaginá-lo como um senhor de 75 anos, com seus pensamentos bastante atuais, mas gostei demais do modo como ele via o mundo e quero ser assim quando crescer.
Quanto à questão da ficção científica na obra, o autor soube desenvolvê-la muito bem. Embora as explicações físicas de sobre como tal coisa era possível não entrassem na minha mente, Scalzi detalhava muito bem os cenários, facilitando então a ambientação e me fazendo acreditar que aquilo era real. Ou seja, não é necessário ter uma explicação plausível se você estiver imerso na trama.
O final foi bastante surpreendente e até hoje não estou sabendo lidar. Pesquisando, vi que esse é o primeiro de uma série e os outros volumes irão tratar de outros batalhões importantes nesse contexto do livro. Me pergunto se em algum momento John retornará como protagonista e se saberemos o que aconteceu com ele após o desfecho de Guerra do Velho. Já estou ansioso por isso.
Quanto à edição física, a Aleph deu um show. Nunca tinha lido um livro da editora e esse primeiro contato foi bastante satisfatório. A capa combina bastante com a trama e é bem atrativa. A diagramação é bem trabalhada, as páginas são amareladas, a fonte é grande e o espaçamento está ótimo. A revisão está absurdamente impecável. Não encontrei um único erro enquanto lia.
Guerra do Velho foi um livro que me surpreendeu e me fez querer me aventurar mais neste gênero. Sendo assim, não posso deixar de recomendar a leitura a todos. Garanto que irão se surpreender!

Beijos e até a próxima!
***
Esta postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
CLIQUE AQUI e saiba como participar!

Ei, eu sou a Barb, tenho 27 anos, sou baiana, estudei Letras e compartilho conteúdo desde 2010 na internet. Por aqui, escrevo sobre tudo que faz meu coração bater mais forte.

Se inscreva no meu canal do youtube

Além do meu amor pela leitura e pelas histórias de romance, eu compartilho vlogs sobre a minha rotina e trabalho, mostrando como é a vida de uma baiana morando em Madrid, na Espanha.

Ei, inscritos no Telegram

Faça parte do nosso grupo aberto e gratuito no Telegram. Lá os inscritos recebem novidades, conteúdos exclusivos, além de um podcast semanal (em áudio) sobre o que se passa na mente da criadora de conteúdo.

Telegram

Quer receber minha newsletter?

Vamos conversar mais de pertinho? Enviamos conteúdos semanais sobre assuntos mais intimistas: reflexões sobre a vida e situações cotidianas.