sobre livros e a vida

03/05/2019

Tá na estante :: ‘Dizem por aí…’

Oi gente!

Livro de hoje é mais um chick-lit leve e muito bom para resseca literária. Vem conhecer Dizem por aí… da Jill Mansell.

Um fim de relacionamento da maneira mais inesperada que deixaria qualquer pessoa desolada. O namorado de Tilly Cole retira todas as coisas que pertencem a ele do apartamento em que viviam e volta para casa dos pais. Tudo isso sem Tilly ao menos imaginar e, um dia, ao voltar do trabalho – bam! – metade das coisas que existiam naquele apartamento foi levada embora.

Tentando se distrair, Tilly resolve visitar sua amiga Erin, na pequena cidade de Roxborough, durante o fim de semana. Para quem terminou desastrosamente um relacionamento, Tilly não está realmente triste. Como acaba desabafando para sua melhor amiga, ela até está aliviada, já que nunca consegue por um ponto final em seus relacionamentos.

Após ler um jornal, descobrir uma proposta de emprego interessante e ser aceita Tilly muda-se de vez para Roxborough onde passará a trabalhar como garota faz-tudo na casa de Max Dinee, um pai homossexual que vive com sua filha, Lou, de 13 anos. E é nesse local de trabalho irá conhecer Jack Lucas, o galã da cidade, que, como todos dizem, já saiu com todas as garotas dali.

A história se desenrola sem muitas complicações nessa pequena cidade de Roxborough, onde a população é movida à fofoca. Ao lado da história principal de Tilly, acompanhamos também as aventuras e desventuras da vida amorosa de Kaye, ex-mulher de Max e atriz de Hollywood, e também a história de Erin.

Em Dizem por aí… percebemos histórias de personagens que procuram aceitação a todo custo ou que apenas querem não mais estar no foco do assunto da pacata cidade, além de demonstrar as várias histórias de amor possíveis. Jill Mansell desenvolveu o enredo muito bem, fazendo com que o leitor queira acompanhar a leitura que é cheia fluída e leve, como um bom chick-lit.

O livro me prendeu do começo ao fim, e teve um plot twist que eu não imaginava. Eu amei a família de Max Dineen, desde o relacionamento sincero e aberto que ele tem com sua filha, até a amizade e o cuidado que ainda permanece em relação a sua ex-mulher. Max é um personagem cômico, mas não por ser gay, e sim por sua sinceridade e ironia. Além de Lou, a menina esperta de 13 anos que é tão sincera quanto o pai e tão amável com Tilly.

É uma leitura que recomendo a todos que buscam algo mais leve e é boa para curar a ressaca literária. Para quem ama chick-lits, fica a dica. Está entre os meus livros favoritos do gênero.

Vocês já leram Dizem por aí…? Conhecem Jill Mansell? Vamos conversar mais sobre nos comentários.

Beijão e até mais!

Ei, eu sou a Barb, tenho 27 anos, sou baiana, estudei Letras e compartilho conteúdo desde 2010 na internet. Por aqui, escrevo sobre tudo que faz meu coração bater mais forte.

Se inscreva no meu canal do youtube

Além do meu amor pela leitura e pelas histórias de romance, eu compartilho vlogs sobre a minha rotina e trabalho, mostrando como é a vida de uma baiana morando em Madrid, na Espanha.

Ei, inscritos no Telegram

Faça parte do nosso grupo aberto e gratuito no Telegram. Lá os inscritos recebem novidades, conteúdos exclusivos, além de um podcast semanal (em áudio) sobre o que se passa na mente da criadora de conteúdo.

Telegram

Quer receber minha newsletter?

Vamos conversar mais de pertinho? Enviamos conteúdos semanais sobre assuntos mais intimistas: reflexões sobre a vida e situações cotidianas.