sobre livros e a vida

14/11/2016

Tá Na Estante :: ‘Criaturas Estranhas’ #603

Olá, pessoal. Tudo bem?

Aqui é a Ana Karina, do Blog Da Literatura, e estou aqui hoje a convite do Leo para falar de um livro lançado recentemente pelo selo Fantástica da editora Rocco. Vamos conferir?!

Livro: Criaturas Estranhas
Organização: Neil Gaiman
Editora: Fantástica Rocco
Páginas: 400
Sinopse: Dezesseis histórias fantásticas, algumas escritas há mais de cem anos, outras inéditas, selecionadas por ninguém menos que o aclamado autor de Coraline e outros tantos sucessos, Neil Gaiman. Como o título sugere, Criaturas estranhas é uma coletânea de contos povoada por seres fantásticos, magníficos e às vezes assustadores. Assinadas por autores clássicos de ficção científica e fantasia, como Anthony Boucher e Diana Wynne Jones, a escritores contemporâneos, como Nnedi Okorafor e o próprio Gaiman, as histórias, que parecem ter saído de um sonho, ou talvez de um pesadelo, têm em comum o olhar atento e único de Neil Gaiman para o insólito. Cada conto é precedido de um comentário do escritor, que visa a provocar ainda mais a imaginação do leitor.

Criaturas Estranhas é um livro de contos selecionados por Neil Gaiman, escritor britânico conhecido por suas obras de fantasia, ficção científica e horror. Gaiman é bastante versátil: escreve HQs, romances, contos, histórias infantis e roteiros para o cinema e para a televisão. Algumas pessoas descrevem o estilo de Gaiman como sendo “único” na literatura contemporânea e, realmente, não estão exagerando. 
O autor é extremamente criativo. Criaturas Estranhas é um livro que me surpreendeu justamente porque cada conto, assinado por um escritor diferente, traz histórias fantásticas protagonizadas por uma criatura estranha diferente. Ao ler as histórias contidas no livro, ficamos conhecendo, de certa forma, um pouco da trajetória literária de Neil Gaiman. 
Na própria introdução da obra, Gaiman nos conta sobre o seu fascínio por monstros e sobre os motivos de determinados contos fazerem parte desta antologia. São histórias que ou marcaram sua vida como leitor, ou histórias que influenciaram a sua escrita, além de textos de novos escritores os quais Gaiman recomenda a leitura.

“Eu gostava de animais de verdade. Mas gostava mais dos animais que existiam de uma forma mais sombria do que dos que pulavam ou deslizavam ou cavalgavam na vida real, porque eles eram impossíveis, porque poderiam existir ou não, porque só de pensar neles o mundo já se tornava um lugar mais mágico.
Eu amava meus monstros.(pág. 7)”

Os 16 contos retomam personagens que normalmente estão presentes na literatura fantástica e alguns inéditos. Encontramos desde um ponto que vai evoluindo de forma até adquirir um aspecto sinistro de uma criatura nunca antes vista até criaturas mitológicas como grifos, sereias, manticoras, lobisomens e muitas outras.
Não falarei sobre todos os contos do livro para que não estrague a surpresa da leitura, mas gostaria de chamar a atenção para alguns de que gostei muito pela temática, pelos personagens ou pela narrativa diferenciada.
O primeiro conto possui um título bastante singular. Gahan Wilson, o autor, possui experiência também nas artes visuais e criou um texto que brinca com imagens. O título, como vocês podem ver, é impossível de traduzir em palavras. Ele conta a história de um ponto que vai mudando de forma e deixando o dono da casa cada vez mais intrigado com a situação.
As Vespas Cartógrafas e as Abelhas Anarquistas, de Lily Yu, é um conto muito inteligente que cria uma metáfora para a organização da sociedade humana. No caso, tanto as vespas quanto as abelhas poderiam representar as nossas ações. O conto possui uma escrita mais arrastada, mas vale e muito a reflexão.
O Grifo e o Cônego Menor fala de um grifo que visita uma cidadezinha para verificar sua imagem esculpida em cima da cúpula da igreja. Gostei bastante da ideia dessa narrativa.
Ozioma, a Maligna, de Nnedi Okorafor, lembrou-me um pouco os antigos mitos e lendas indígenas, africanas e de outros povos antigos. Ozioma é uma garotinha que consegue falar com cobras e, um dia, uma cobra gigante desce do céu (sim!) até o vilarejo de Ozioma. É um conto que fala de coragem e de como, muitas vezes, tomamos algumas decisões que são muito importantes para as pessoas que convivem conosco. Para saber o que vai acontecer, só lendo.
Pássaro do Sol é o único texto do livro de autoria de Neil Gaiman. A história fala de pessoas que comiam criaturas estranhas. Todos os dias elas experimentavam iguarias como besouros, restos de mamutes e outros seres os quais elas consideravam mágicos. Até que um dia, achando que já haviam experimentado tudo o que conheciam, perceberam que não tinham comido o Pássaro do Sol. Este conto é esquisito, mas genial! Gaiman surpreende não só com a temática, mas com a sua grande habilidade narrativa, construindo um desfecho muito interessante! Vale a pena ler.
O Cacatucano; ou, a Tia-Avó Willoughby é um conto escrito por E. Nesbit que me lembrou, e muito, alguns contos de fadas tradicionais e obras clássicas da literatura infantil como Alice no País das Maravilhas. O texto narra a história de Matilda, menina que vai visitar sua tia-avó. No entanto, a babá de Matilda e a menina entram na carruagem errada e elas vão para um lugar desconhecido. A história é sensacional!
O Lobisomem Cabal, de Anthony Boucher, é um conto bastante conhecido mas somente foi publicado no Brasil nesta antologia. É o maior texto deste livro e, de início, a leitura parece se arrastar um pouco, no entanto, a narrativa é excelente e acaba sendo um presente para os fãs de fantasia já que encontramos elementos bastante comuns do gênero como lobisomens, magos, feitiçaria e mistério. A história fala do professor de alemão Lobato Lobo que, um dia, recebe a visita de um estranho homem que se apresenta como um mágico. Este, repete algumas palavras mágicas e “ativa” algumas características surpreendentes no professor. A história é muito divertida, vale a pena conferir!
O último conto do livro Venha, Dona Morte, de Peter S. Beagle, é um dos contos que considero mais instigantes pois trata de um convite muito incomum: uma viúva, um pouco entediada com os seus eventos, resolve realizar um baile cuja convidada de honra é a Morte. Ótimo conto para fechamento do livro.
Em alguns aspectos, Criaturas Estranhas pode ser considerado um livro bastante sombrio, mas a leitura e a reflexão que traz as suas histórias são realmente fascinantes. O livro é ótimo, recomendo principalmente para quem gosta do trabalho de Neil Gaiman e para quem é fã de literatura fantástica. 
Beijos e até qualquer hora!!!
***
Esta postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
CLIQUE AQUI e saiba como participar!

Ei, eu sou a Barb, tenho 27 anos, sou baiana, estudei Letras e compartilho conteúdo desde 2010 na internet. Por aqui, escrevo sobre tudo que faz meu coração bater mais forte.

Se inscreva no meu canal do youtube

Além do meu amor pela leitura e pelas histórias de romance, eu compartilho vlogs sobre a minha rotina e trabalho, mostrando como é a vida de uma baiana morando em Madrid, na Espanha.

Ei, inscritos no Telegram

Faça parte do nosso grupo aberto e gratuito no Telegram. Lá os inscritos recebem novidades, conteúdos exclusivos, além de um podcast semanal (em áudio) sobre o que se passa na mente da criadora de conteúdo.

Telegram

Quer receber minha newsletter?

Vamos conversar mais de pertinho? Enviamos conteúdos semanais sobre assuntos mais intimistas: reflexões sobre a vida e situações cotidianas.