sobre livros e a vida

16/11/2020

O Assassinato no Trem, de Jessica Fellowes

Louisa é uma jovem e humilde garota que vive na Londres de 1920. Filha de uma lavadeira, a menina faz o possível para ajudar sua mãe com os trabalhos, já que o dinheiro é escasso. Porém, grande parte dos ganhos ficam nas mãos do tio da garota, um homem extremamente abusivo e perverso.

Há muito tempo Louisa vem aguentando calada os xingamentos e abusos psicológicos por parte do tio, mas quando o homem se mostra disposto a vende-la, a jovem resolve tomar as rédeas do próprio destino e salta de um trem, rumo à liberdade.

Após algumas sufocos, Louisa consegue um emprego na mansão Ashtall, sendo dama de companhia das filhas do casal Mitford. Não demora para Louisa criar um vínculo com as crianças, principalmente com Nancy, a mais velha, mas o medo do tio descobrir seu paradeiro e leva-la embora ainda é grande.

Em contrapartida, vamos conhecer um pouco sobre Florence, uma enfermeira de guerra que foi morta durante uma viagem de trem. Seu assassinato é um completo mistério para as autoridades e ninguém sabe o porquê de alguém querer ferir uma mulher tão recatada como Florence.

Quando o caso chega aos ouvidos de Nancy, a menina fica completamente fissurada pela história, querendo a todo custo mais detalhes sobre a investigação. Louisa, como sua amiga e confidente, acaba adentrando também nesse crime, mal sabendo as duas que a verdade por trás dessa morte era ainda mais perigosa do que se podia imaginar.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Eu sou um completo fã de livros de mistério e sempre que uma novidade do gênero surge eu busco saber mais para então me arriscar na leitura. Quando a Record anunciou o lançamento de O Assassinato no Trem, imediatamente eu solicitei meu exemplar, esperando um romance à lá Agatha Christie… mas não foi bem isso que eu encontrei.

A escrita de Jessica Fellowes é muito boa, mas não muito fluida. Não sei se foi o palavreado mais rebuscado ou a falta de ação no início, mas eu demorei dias pra chegar na primeira metade do livro. Normalmente, quando eu leio mistérios, fico tão imerso na narrativa que nem consigo parar, só que dessa vez foi diferente. Eu implorava por mais ação e recebia descrições imensas que não levavam a nada.

Um ponto positivo do livro são os personagens. Louisa é uma jovem muito determinada e corajosa. O fato de ela se impor contra o tio em uma época onde a mulher era tão subjugada me fez gostar dela de cara. Também gostei muito de Nancy, só gostaria que ela tivesse mais importância dentro da história.

A segunda metade do livro traz um pouco mais de ação e me deixou um pouco mais empolgado. Aos poucos, Jessica foi apresentando algumas provas e me permitindo criar uma teoria, que estava completamente errada, devo acrescentar. Haha. Contudo, acho que faltou um quê a mais para completar a carga de mistério que eu estava esperando.

Em suma, O Assassinato no Trem é um bom livro, mas deixa a desejar como suspense, por ter uma trama mais leve. Ainda não sei se vou seguir com a série, já que este é o primeiro volume de uma trilogia, mas algo me diz que eu vou arriscar sim. Sendo assim, fica aqui a recomendação, porém, com ressalvas.

Ei, eu sou a Barb, tenho 27 anos, sou baiana, estudei Letras e compartilho conteúdo desde 2010 na internet. Por aqui, escrevo sobre tudo que faz meu coração bater mais forte.

Se inscreva no meu canal do youtube

Além do meu amor pela leitura e pelas histórias de romance, eu compartilho vlogs sobre a minha rotina e trabalho, mostrando como é a vida de uma baiana morando em Madrid, na Espanha.

Ei, inscritos no Telegram

Faça parte do nosso grupo aberto e gratuito no Telegram. Lá os inscritos recebem novidades, conteúdos exclusivos, além de um podcast semanal (em áudio) sobre o que se passa na mente da criadora de conteúdo.

Telegram

Quer receber minha newsletter?

Vamos conversar mais de pertinho? Enviamos conteúdos semanais sobre assuntos mais intimistas: reflexões sobre a vida e situações cotidianas.