sobre livros e a vida

12/07/2021

Na Telona :: ‘Viúva Negra’

No ano de 1995, o super-soldado Alexei tinha uma vida de fachada em Ohio, ao lado da espiã Melina e de suas “filhas”, Natasha e Yelena. Quando sua missão é concluída, os quatro partem em uma fuga para Cuba, que é quando Alexei entrega os arquivos roubados da S.H.I.E.L.D para seu chefe, o impetuoso General Dreykov. Depois disso, Natasha e Yelena são levadas para a Sala Vermelha, para se tornarem combatentes.

Anos depois, Natasha Romanoff desertou e se juntou a S.H.I.E.L.D, tornando-se uma Vingadora. Depois de ter assassinado Dreykov e sua filha, ela tira tudo relacionado à Sala Vermelha de sua mente e só quer viver sua vida lutando ao lado de seus amigos. Porém, após o Acordo de Sokovia, mais uma vez Natasha precisa fugir e se esconder, para não ser presa.

O novo esconderijo de Natasha é na Noruega, num local bastante isolado. Seu amigo Rick Mason conseguiu um espaço para ela, levando todos os seus pertences do esconderijo anterior, em Budapeste. Quando Natasha vai até a cidade se livrar de alguns itens, seu caminho se cruza com o do Treinador, um super-soldado com habilidades de imitar os movimentos de luta de seus oponentes. Após uma luta complicada, a Viúva Negra consegue escapar, mas sabe que precisa descobrir o que levou o Treinador até ela.

Em paralelo, Yelena Belova estava em missão com outras viúvas para interceptar um objeto, mas durante uma luta ela é exposta a um soro que a liberta do controle mental da Sala Vermelha. A partir de então, ela é considerada uma desertora e decide pedir a ajuda de Natasha para salvar as outras viúvas deste controle.

Quando Natasha e Yelena se reencontram, tudo em que Natasha acreditava cai por terra. Ela descobre que Dreykov não só está vivo como ainda gerencia a Sala Vermelha, que ela acreditava não existir mais. Com o antídoto para o controle mental em mãos, as duas ex-agentes se unem para terminar o que começaram de uma vez por todas. Porém, para que essa missão tenha sucesso, elas precisarão enfrentar fantasmas de seu passado e pedir a ajuda de improváveis aliados.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de assistir!

***

Eu sou completamente apaixonado pelo Universo Cinematográfico da Marvel e todo e qualquer filme lançado pelo estúdio é certeza que terá o meu ingresso garantido. Na última quinta-feira foi lançado nos cinemas e no Disney+ Viúva Negra, a nova aposta da Marvel e hoje eu conferi o filme no cinema – respeitando todos os protocolos de segurança do COVID, é claro.

Já começo essa crítica dizendo que eu sou um grande fã da Viúva Negra e sempre a achei subestimada dentro do universo da Marvel, sendo que ela sempre teve muito potencial. Quando o filme foi anunciado, eu vibrei junto com os fãs, mas o adiamento do filme por conta da pandemia acabou refreando um pouco minhas expectativas. Mas já digo de antemão que a obra foi lançada no momento certo.

Scarlett Johansson é uma excelente atriz e faz jus ao título de heroína que a Viúva Negra tem. Neste filme, temos algumas lembranças sobre seu passado e entendemos mais um pouco sobre como ela se tornou quem ela é. Porém, o filme está longe de ser uma obra sobre as origens da heroína. Ele se passa durante os acontecimentos de Guerra Civil e só traz alguns flashbacks do passado de Natasha para acrescentar informações ao que já sabemos sobre a espiã.

Florence Pugh foi uma grata surpresa. Já conhecia o trabalho dela por conta de Midsommar e estava empolgado para vê-la no MCU. Devo dizer que a atriz tirou o papel de letra. A atuação dela é impecável, chamando a atenção e roubando a cena diversas vezes. Sabemos que a ideia do filme também era apresentá-la como a nova Viúva Negra e acho que ela vai se sair muito bem com essa responsabilidade.

Também gostei muito das participações de David Harbour e Rachel Weisz, que deram um show de atuação e empolgaram muito em seus papéis, sendo David o grande alívio cômico da trama com seu Guardião Vermelho.

As cenas de luta foram bem construídas e ensaiadas, além de ser dispostas na medida certa durante o filme. Como em todas as obras da Marvel, o roteiro e a direção souberam dosar muito bem história, ação e comédia, deixando o espectador entretido do começo ao fim. Fiquei vidrado na tela, preso aos acontecimentos e aos personagens de uma forma única.

Em suma, Viúva Negra é um excelente filme, que chegou para somar ao MCU. A cena pós-créditos deixou um enorme gancho para uma nova série do Disney+ e já estou com as expectativas lá no alto. É claro que recomendo este filme a todos. Tenho certeza que não irão se arrepender de assistir.

Ei, eu sou a Barb, tenho 27 anos, sou baiana, estudei Letras e compartilho conteúdo desde 2010 na internet. Por aqui, escrevo sobre tudo que faz meu coração bater mais forte.

Se inscreva no meu canal do youtube

Além do meu amor pela leitura e pelas histórias de romance, eu compartilho vlogs sobre a minha rotina e trabalho, mostrando como é a vida de uma baiana morando em Madrid, na Espanha.

Ei, inscritos no Telegram

Faça parte do nosso grupo aberto e gratuito no Telegram. Lá os inscritos recebem novidades, conteúdos exclusivos, além de um podcast semanal (em áudio) sobre o que se passa na mente da criadora de conteúdo.

Telegram

Quer receber minha newsletter?

Vamos conversar mais de pertinho? Enviamos conteúdos semanais sobre assuntos mais intimistas: reflexões sobre a vida e situações cotidianas.