sobre livros e a vida

22/09/2016

Tá Na Estante :: ‘Confissões do Crematório’ #575

E aí pessoal, tudo bem?

Hoje eu vim contar para vocês um pouco sobre Confissões do Crematório, um livro de memórias escrito por Caitlin Doughty. O livro foi lançado no Brasil e cedido para resenha pela editora DARKSIDE BOOKS através do selo DARKLOVE.

Livro: Confissões do Crematório
Série:
Autora: Caitlin Doughty
Editora: DarkSide Books
Páginas: 260
Sinopse: Ainda jovem, Caitlin conseguiu emprego em um crematório na Califórnia e aprendeu muito mais do que imaginava barbeando cadáveres e preparando corpos para a incineração. A exposição constante à morte mudou completamente sua forma de encarar a vida e a levou a escrever um livro diferente de tudo o que você já leu sobre o assunto. Confissões do Crematório reúne histórias reais do dia a dia de uma casa funerária, inúmeras curiosidades e fatos históricos, mitológicos e filosóficos. Tudo, é claro, com uma boa dose de humor. Enquanto varre as cinzas das máquinas de incineração ou explica com o que um crânio em chamas se parece, ela desmistifica a morte para si e para seus leitores. O livro de Caitlin – criadora da websérie Ask a Mortician – levanta a cortina preta que nos separa dos bastidores dos funerais e nos faz refletir sobre a vida e a morte de maneira honesta, inteligente e despretensiosa – exatamente como deve ser. Como a autora ressalta na nota que abre o livro, “a ignorância não é uma bênção, é apenas uma forma profunda de terror”.

Confissões do Crematório é o livro de memórias de Caitlin Doughty que nos leva em uma viagem pelos seus primeiros seis anos trabalhando na indústria funerária dos Estados Unidos. Mas se engana quem acha que esse foi o início da relação entre Caitlin e a morte. A garota desde criança já apresentava sinais da sua paixão pelo o que acontece após o coração parar de bater. Como a maioria das outras crianças, seu primeiro contato com esse aspecto mórbido de nossa existência foi através da partida de seu bichinho de estimação, que no caso de Caitlin, era um peixinho.
Após o acontecimento, Caitlin deu início a sua obsessão pelo mórbido. Quando adolescente, a garota se voluntariou para trabalhar em um hospital local e fez de tudo para conseguir acesso ao necrotério que existia no porão do hospital. Na faculdade decidiu estudar história medieval e isso a levou a escrever uma tese sobre a morte de bebês em rituais de bruxaria.

Em suas histórias, a autora nos apresenta a dor de perder alguém importante mas que por algum motivo você estava distante, nos apresenta também uma mulher que precisa lidar com a morte de seu filho de 30 anos mas que encara a situação como uma oportunidade para ganhar milhas e viajar para um lugar tropical e até mesmo nos conta sobre a sua primeira experiência como barbeadora de cadáveres. Uma variedade de histórias que fazem com que o livro se torne algo prazeroso de ler e não apenas mais um catálogo de mortes.
Quando Confissões do Crematório foi anunciado eu imediatamente me apaixonei pela capa e decidi que precisaria ter ela na minha estante. Assim que a DarkSide nos ofereceu um exemplar do livro eu já deixei bem claro que ele viria para mim e imediatamente tratei de solicitar sem nem procurar a fundo sobre o que o livro falava.
A narrativa sincera e diversas vezes cômica da autora transforma a leitura em uma caminhada no cemitério à meia-noite acompanhado daquele seu amigo extremamente corajoso. Ela desmistifica a morte e nos leva para o backstage de sua profissão respondendo perguntas que nem nós mesmos sabíamos que tínhamos como: qual a aparência de um crânio em chamas? Quantos corpos cabem em uma van?

O livro inicia nos dando aquilo que foi prometido, histórias bizarras e cômicas vividas por Caitlin Doughty. O texto continua assim até certo momento onde, talvez por falta de conteúdo, a autora começa a construir os capítulos com mais fatos históricos do que com com suas próprias experiências, o que poderia ser bom se o foco do livro fosse outro, mas nesse caso só deixa a narrativa um pouco mais lenta e nem tão interessante.
Os fatos históricos apresentados no livro possuem uma riqueza de informações incríveis que com certeza aumentaria a nota da obra para muitas pessoas, porém não para mim. Não que eu tenha achado essas informações extras desinteressantes, eu simplesmente não iniciei a leitura esperando esse tipo de informação. É como abrir uma biografia do Stephen King e nela conter a história da J. K. Rowling. Não vai ser ruim, mas será um pouco decepcionante pois não foi aquilo que foi vendido para você.
Em questões físicas não há muito o que dizer quando se trata de DarkSide, né? O livro tem uma capa que é definitivamente uma das mais bonitas que eles já lançaram. Nela temos o padrão fosco com alguns destaques envernizados e muitos detalhes em relevo. Temos aquela diagramação também padrão com páginas ilustradas no início, páginas amareladas, início de capítulo com o título do livro no topo da página e marcador de páginas em cetim. Fontes, margens e espaçamento de bom tamanho e uma revisão bem feita.

Confissões de Crematório é um livro que nos dá uma nova visão da morte (e até mesmo da vida) por tratar da morbidez de forma tão natural e até um pouco cômica. É uma obra que com certeza merece ser lida por todos, mas o leitor precisa mergulhar nessa história sabendo que encontrará diversas páginas com conteúdo histórico e não apenas relatos da vida da autora.
***
Esta postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
Clique aqui e saiba como participar.

Ei, eu sou a Barb, tenho 27 anos, sou baiana, estudei Letras e compartilho conteúdo desde 2010 na internet. Por aqui, escrevo sobre tudo que faz meu coração bater mais forte.

Se inscreva no meu canal do youtube

Além do meu amor pela leitura e pelas histórias de romance, eu compartilho vlogs sobre a minha rotina e trabalho, mostrando como é a vida de uma baiana morando em Madrid, na Espanha.

Ei, inscritos no Telegram

Faça parte do nosso grupo aberto e gratuito no Telegram. Lá os inscritos recebem novidades, conteúdos exclusivos, além de um podcast semanal (em áudio) sobre o que se passa na mente da criadora de conteúdo.

Telegram

Quer receber minha newsletter?

Vamos conversar mais de pertinho? Enviamos conteúdos semanais sobre assuntos mais intimistas: reflexões sobre a vida e situações cotidianas.