sobre livros e a vida

02/01/2017

06 livros favoritos de 2016

Heeey, gente. Tudo bem??

livros-favoritos
Intimei os meninos para me contarem dois livros favoritos para eles em 2016, e juntando com os meus, teremos os 06 livros favoritos do blog em 2016. Já vou confessar que não está sendo fácil para nenhum de nós, pois o que mais teve no ano que passou foram boas leituras. Então admirem o nosso esforço, haha.

Barbara

A Garota Perfeita – resenha

a-garota-perfeita

Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida.
Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à familia da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso.
Quando a encontra, porém, a professora esté em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdadeiro vilão desta história?

Eu amei sair da zona de conforto com este livro. Recebi a prova da editora sem aviso algum e fiquei bem curiosa quanto a capa. Quando comecei a leitura, me vi envolvida pela trama de mistério e suspense. Foi incrível! Indico muito a leitura.


Caçadora de Estrelas – resenha

caçadora-de-estrelas

Após flagrar o seu atual namorado com outro cara – não, você não leu errado – e constatar que o safado tinha um gosto para homens até melhor do que o seu, Eva se arrepende por ter abandonado a família, o gato, o emprego, os amigos e até e o país para segui-lo e decide que é hora de voltar para a casa, com o rabo entre as pernas, um mau humor feroz e sem um tostão no bolso. Mas ao contrário do que imaginou não é recebida com faixas e balões, muito menos com boas-vindas e sim com mais e mais azar – como se não bastasse todas as vezes em que foi traída, abandonada pelo circo ou roubada por alguma estrela errada -, seu irmão acabou com seu carro novo, seu pai se casou, ela ganhou duas quase irmãs indesejadas, seu melhor amigo roubou seu gato e ainda de quebra arrumou uma namorada.
Embora a vida em casa não esteja como deixou, Eva é obrigada a seguir em frente e lidar com a situação como uma mulher adulta. O que em seu dicionário quer dizer se embebedar, distribuir socos e grosserias a quem quer que esteja ao seu alcance e recuperar seu gato – a qualquer custo -, nem que para isso precise roubá-lo de volta.

O que desconhece é que o destino iria lhe preparar uma surpresa, lhe oferecendo algo que não poderia ter, um amor proibido. Será ela corajosa o suficiente para lidar com mais um coração partido, mesmo que seja pela estrela mais brilhante do céu?

Amo dramas fortes, daqueles que nos fazem chorar rios de lágrimas e querer matar a autora, mesmo entendendo todos os motivos da trama. Eu adorei este livro! A autora me enganou começando a história como um chick-lit, mas quando tudo foi revelado eu não consegui segurar as lágrimas. É um daqueles livros que via te fazer questionar muitas coisas em sua vida, principalmente se você está vivendo-a intensamente. 

Leonardo


Corte de Névoa e Fúria – resenha

corte-de-névoa-e-fúria

O aguardado segundo volume da saga iniciada em Corte de espinhos e rosas, da mesma autora da série Trono de vidro Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos.

Pra mim foi, de longe, a maior surpresa do ano. Sou apaixonado por Sarah J. Maas e sei do seu talento em criar histórias para depois descontrui-las com inúmeras reviravoltas nas continuações. Contudo, CdNeF me surpreendeu por mudar totalmente o foco do seu predecessor e apresentar uma história mais rica e intensa, sambando completamente. Amei.

O Último Adeus – resenha

o-último-adeus

O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz.
O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante.
O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.

Sou apaixonado por histórias de drama e as que contém suicídio me fascinam de uma forma única (embora eu não saiba que tipo de pessoa isso me torna, haha). Então, quando comecei a ler OUA, sabia que não ia me decepcionar. Dito e feito. A história me cativou desde as primeiras páginas e me emocionou do começo ao fim, tornando-se um dos meus livros favoritos da vida.

Wellyson

Labirinto – resenha


labirinto

Trinta anos sem perder a magia. Tudo começou em um pequeno “labirinto” real na cabeça de James Maury, mais conhecido pelo nome de Jim Henson. O cartunista, músico, roteirista, designer e diretor sabia acessar como ninguém o coração das pessoas e o seu maior dom foi dar vida a seres inanimados. A nova geração pode não lembrar do seu nome, mas com certeza tem seus personagens gravados na memória: Os Muppets, Vila Sésamo, Muppets Babies e até a inesquecível Família Dinossauro. Além deste, Henson também criou fábulas como “Labirinto”, em parceria com George Lucas, filme que encantou toda uma geração quando foi lançado, há 30 anos, com David Bowie como Jareth, o Rei dos Duendes, e também responsável pela trilha sonora, e uma jovem Jennifer Connelly no papel de Sarah, a protagonista que deseja que os duendes levem Toby, seu meio irmão e – para seu espanto – é atendida. Arrependida, ela é desafiada pelo Rei dos Duendes a atravessar o sombrio Labirinto, repleto de perigos e seres mágicos. A novelização de Labirinto finalmente é publicada em português, em uma edição à altura do mestre. Escrita por A.C.H. Smith em parceria com Henson, a edição apresenta pela primeira vez as ilustrações dos duendes feitas por Brian Froud, que trabalhou no filme, além de trechos inéditos e nunca vistos com 50 páginas do seu diário, detalhando a concepção inicial de suas ideias para Labirinto, comemorando os 30 anos do filme em grande estilo.

Com uma narrativa única, essa obra teve um gostinho de infância, me fazendo lembrar o porquê de eu gostar tanto do filme. A escrita do autor no transporta para aquele mundo fantástico e tem a capacidade de encantar crianças e adultos. Sensacional.

Sou Dessas 


valesca-popozuda

A biografia da rainha do funk brasileiro
Valesca é, sem dúvida, uma das mais importantes representantes do funk no país. Com letras irreverentes e ritmo contagiante, suas músicas ajudaram a disseminar o ritmo carioca ao redor de todo o Brasil, quebrando tabus e levantando importantes discussões acerca do papel da mulher na sociedade. Em Sou dessas: pronta pro combate, Valesca Popozuda compartilha a sua visão sobre assuntos como feminismo e liberdade sexual, além de contar, de forma leve e divertida, detalhes de sua vida pessoal, de sua carreira e como o funk mudou a sua história.
Seu maior sucesso, Beijinho no ombro, alcançou o 1º lugar na lista de músicas mais tocadas no Rio de Janeiro, e 5º lugar nas paradas da Billboard Brasil, em 2013.
Recebeu, em 2015, o Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, pela Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

Muita gente pode ter preconceito por conta de ser o livro da Valesca Popozuda. Mas devo dizer que estão perdendo uma obra sensacional à toa. Valesca é um ícone brasileiro que lutou – e muito – pra chegar onde está e com seu jeito único, fala sobre o caminho que percorreu e aborda temas, como feminismo e relacionamento abusivo, quebrando tabus e desconstruindo padrões.

♥♥♥
Estas foram as nossas leituras favoritos em 2016. Perceberam o mix de livros? Adora isso, pois assim podemos conversar sobre leituras completamente diferentes e indicar livros para os outros. Melhor trupi! Aproveita e comenta aí quais foram as suas leituras favoritas do ano que se passou e os motivos, estamos abertos a indicações, hehe. Nos vemos em breve!
Beijocas e até a próxima!!!
***
Esta postagem está concorrendo ao TOP Comentarista!
Clique AQUI e saiba como participar.

Ei, eu sou a Barb, tenho 27 anos, sou baiana, estudei Letras e compartilho conteúdo desde 2010 na internet. Por aqui, escrevo sobre tudo que faz meu coração bater mais forte.

Se inscreva no meu canal do youtube

Além do meu amor pela leitura e pelas histórias de romance, eu compartilho vlogs sobre a minha rotina e trabalho, mostrando como é a vida de uma baiana morando em Madrid, na Espanha.

Ei, inscritos no Telegram

Faça parte do nosso grupo aberto e gratuito no Telegram. Lá os inscritos recebem novidades, conteúdos exclusivos, além de um podcast semanal (em áudio) sobre o que se passa na mente da criadora de conteúdo.

Telegram

Quer receber minha newsletter?

Vamos conversar mais de pertinho? Enviamos conteúdos semanais sobre assuntos mais intimistas: reflexões sobre a vida e situações cotidianas.